sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Conheça os sucos que vão revolucionar a sua vida

Usar os ingredientes certos para fazer sucos é uma ótima receita para inserir uma alimentação mais saudável na sua rotina. Além de hidratar e ser fonte de nutrientes, eles proporcionam muitos benefícios ao corpo e são grandes aliados para quem quer relaxar, reduzir o estresse, ter mais energia, minimizar os efeitos da TPM ou apenas se refrescar.
 
O melhor de tudo é que não faltam opções para quem quer aderir a uma saborosa maneira de consumir frutas, verduras e legumes. Esses ingredientes podem ser misturados uns com os outros ou com picolés e bebidas de soja, por exemplo. 
 
Para ajudar você nessa busca de novos paladares, convidamos as nutricionistas Carla Souza, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva, e Priscila Di Ciero, também dedicada à Nutrição Esportiva. Elas explicam como as combinações fazem bem à saúde de toda a família e dão cinco receitas imperdíveis e fáceis de preparar. Confira:
 

Suco relaxante

 
Quem não quer descansar depois de um dia sobrecarregado? Segundo Carla, a laranja, a cenoura e o mamão fazem uma combinação perfeita porque têm vitamina C, micronutriente excelente no combate ao estresse, abundante também na acerola, abacaxi, caju, limão, tangerina, goiaba, morango, mamão e kiwi.
 
Receita
 
  • 3 fatias de abacaxi
  • 250 ml de suco de soja sabor laranja
  • 1 picolé sabor maracujá
  • 3 folhas de couve
  • ½ xícara de cenoura ralada
 
Modo de preparo
 
  • Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva.
 

Suco antiestresse e calmante

 
Os vegetais verdes são ricos em magnésio, cálcio e vitamina B; por isso, são indicados para quem busca algo leve para reduzir as tensões. 
 
Entre as frutas, a maçã, por exemplo, contém vitaminas B1 e B2, niacina, ferro e fósforo, componentes que ajudam no relaxamento do organismo. Ela pode ser acrescentada aos chás, com gelo, para um delicioso “suchá”. 
 
Camomila, hortelã, banana, maracujá e berinjela também são considerados calmantes e ainda garantem o bom funcionamento do sistema nervoso. 
 
 
 
Receita
 
  • 1 copo (200 ml) de vitamina sabor banana
  • ½ xícara de morango
  • ½ mamão papaia
  • 1 colher de sopa de flocos de amaranto
  • 1 colher de sobremesa de chia
  • 1 colher de chá de mel
 
Modo de preparo
 
  • É só bater tudo no liquidificador e saborear.
 

Suco energético

 
Para dar bastante energia, o abacate é essencial à sua lista. As vitaminas A e C e os minerais dessa fruta, como o potássio e o fósforo, têm a capacidade de revigorar o corpo. 
 
Os hortifrútis mais indicados nesse sentido são os que têm maiores quantidades de carboidratos, tanto os simples, como a glicose e a frutose, quanto os complexos, a exemplo do amido. 
 
De acordo com a nutricionista Carla, para “turbinar” ainda mais a sua bebida, prefira a manga, o coco, o açaí ou a uva.
 
 
Receita
 
  • 200 ml de frapê de coco
  • 2 picolés de chocolate
  • 150 ml de leite de soja sabor chocolate
  • 1 colher de sopa de aveia em flocos finos
 
Modo de preparo
 
  • Bata tudo no liquidificador e sirva gelado.
 

Suco AntiTPM

 
Nos dias difíceis, sobretudo nos períodos de TPM (tensão pré-menstrual), as oleaginosas são ideais. “Amendoim, nozes e amêndoas ajudam bastante a minimizar as dores e a retenção de líquidos, porque possuem vitaminas E e B6”, diz Priscila. 
 
“Folhas, como a salsinha e o salsão, com frutas, por exemplo, o abacaxi e a melancia, atuam como diuréticos, auxiliando na eliminação de líquidos do organismo, explica Carla.
 
 
Receita
 
  • 150 ml de água de coco
  • 1 fatia de melão 
  • ½ xícara de salsão
  • 150 ml de suco de limão com chá verde
  • 150 ml de suco de soja sabor maçã 
 
Modo de preparo
 
  • Bata tudo no liquidificador.
 

Suco refrescante

 
Frutas cítricas e vegetais verde-escuros tornam o suco mais refrescante e, por causa das fibras, conferem a ele um grande poder de saciedade. “A hortelã, por exemplo, tem uma substância chamada mentol, que é capaz de estimular os ‘nervos do frio’ e proporcionar a sensação de frescor”, conta Carla. 
 
De acordo com a nutricionista, outra boa pedida é usar pimentas leves – como a biquinho –, canela e gengibre. Esses ingredientes também deixam o suco termogênico e auxiliam na queima de gordura. 
 
 
Receita
 
  • 1 picolé de lichia
  • 200 ml de suco de soja sabor morango
  • 2 ramos de hortelã
  • 1 colher de chá de gengibre ralado
  • 150 ml de suco de soja sabor tangerina com chá verde 
 
Modo de preparo
 
  • Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva.
 
E na hora de beber...
 
Agora que você já sabe como preparar diversos sucos, surge a dúvida: quando a bebida estiver pronta, qual é a melhor maneira de adoçar? 
 
Segundo Priscila Di Ciero, “Os adultos podem usar adoçante com sucralose [à base de cana-de-açúcar] ou de estévia [derivada de uma planta da América do Sul]. Para as crianças, o açúcar orgânico é a melhor escolha [produzido da cana cultivada sem fertilizantes químicos]”. 
 
Outra dica é usar o mel. “Pode ser uma boa alternativa, mas quanto menos, melhor. Essa orientação também vale para o açúcar”, afirma a nutricionista.
 
Ainda no caso das crianças, todos os sucos podem ser ingeridos sem restrição, mas procure não repetir sempre o mesmo sabor. “Precisamos buscar a variedade para dar aos nossos filhos a maior quantidade de nutrientes possível, a fim de fortalecer o seu desenvolvimento e crescimento”, conclui Carla. 
 
Pronto! Agora é só separar os ingredientes e se deliciar com todas essas receitas. ;)

Fonte: Vital

As atividades do dia a dia estão aumentando? Use o checklist que dá certo



Quem é que nunca se perdeu no meio de tantas tarefas a cumprir em um só dia? Enquanto aliviar a agenda nem sempre é possível, fazer as pazes com ela pode ser mais fácil do que você imagina.

O fundador e chefe de operações do site de carreira "Daily Muse", Alex Cavoulacos, escreveu recentemente um artigo sobre um método de organização que ele mesmo adota e que tem tudo para dar certo. É simples: na hora de elencar as atividades que precisam ser colocadas em prática nas próximas horas, o truque é dividi-las por tamanho e importância usando a regra "1-3-5". "A ideia é assumir que em um dia você só pode cumprir uma grande tarefa, três médias e cinco pequenas. Assim ,você sempre estará com nove itens na sua lista", explica ele.

Assustador? Nem tanto. O objetivo do método é mostrar que sua checklist de coisas a fazer não precisa ser nenhum testamento. O mais importante é saber contemplar a prioridade máxima ou mais trabalhosa e seguir o restante da escala. A dica vale para as tarefas de trabalho ou quaisquer outras que exijam sua atenção, como contas a pagar, por exemplo.
Para ajudar você a organizar melhor seu dia, traduzimos o método "1-3-5" na lista abaixo que pode ser impressa ou salva no computador. 










Fonte: GNT

O barulinho da água no jardim dá sensação de tranquilidade

  (Foto: Edu Castello)(Foto: Edu Castello)
  (Foto: Edu Castello)(Foto: Edu Castello)
Água no caminho
A moradora desta casa fazia questão de ter uma fonte no jardim, mas o paisagista Odilon Claro, da Anni Verdi, sugeriu umespelho d’água. “Prefiro essa solução porque dá para ser executada no nível do terreno. Escolhi o formato orgânico e sinuoso para integrá-lo aogramado”, diz. Com estrutura de concreto, a construção possui revestimento de pastilhas, da Vidrotil. Para manter a água sempre limpa, Odilon instalou uma bomba submersa conectada a um filtro biológico em placa, que fica sob uma camada de 5 cm de pedriscos no fundo do espelho. Além de facilitar a circulação na área, a ponte de madeira esconde a bomba. Embaixo dela, saem duas bicas de cobre. No vaso de barro, papiros. No espelho, aguapés e alfaces d’água.

Fonte: Casa e Jardim

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Seu filho já está naquela fase de pedir dinheiro? Veja a hora certa de dar mesada para ele

mesada (Foto: Shutterstock)
“Mãe, eu quero!”, “Me dá?”, “Compra para mim?”. Se algumas dessas frases fazem parte do seu dia a dia, é hora de ensinar ao seu filho o valor do dinheiro. A primeira oportunidade acontece por volta dos 2 anos e meio quando costuma surgir o primeiro pedido de compra. É difícil resistir, nós sabemos, mas dizer sim a todos os desejos dele pode prejudicar o futuro financeiro do seu filho.

É importante mostrar que existem presentes que podem ser adquiridos agora e outros que precisam de planejamento, tempo e investimento. Questione-o sobre por que quer ou precisa de determinada coisa.

A partir dos 3 anos, o reconhecimento de moedas e células e o cuidado com o dinheiro também é fundamental. “Ensine que dinheiro não se rasga, molha, dobra ou rasura”, explica a especialista em educação financeira Cássia D’Aquino, autora do livro Educação Financeira – Como Educar seu Filho (Ed. Elsevier).

Uma dica é dar uma carteira pequena para seu filho começar a ter esse cuidado a partir dos 4 anos. Aproveite também uma ida ao supermercado para ensinar o que é caro e barato.
A mesada, no entanto, deve ser dada apenas por volta dos 6 anos. Mas apenas dar o dinheiro, sem ensinar a administrá-lo (gastar, doar, poupar), também não faz sentido. A especialista sugere que, dos 6 aos 12 anos, a média da mesada seja calculada por semana, já que um mês é muito tempo para as crianças. O valor para o cálculo deve ser a idade da criança multiplicada por R$ 1 (por semana).

É importante usar a medida da maneira certa. O valor não pode ser alto, pois seu filho precisa entender que não pode comprar tudo a qualquer hora, e que precisará abrir mão, por exemplo, de vários doces para comprar uma bicicleta.

=> Para crianças até 12 anos, o mais indicado é o pagamento semanal. Depois disso, para que elas aprendam a controlar por 30 dias as despesas, o ideal é a mesada.
=> Convide seu filho a fazer uma lista de prioridades para os gastos mensais.
=> Defina um dia para pagar a mesada e respeite a data e a quantia para que ele possa planejar os gastos.
=> Use um cofrinho, de preferência transparente. Ver o dinheiro aumentando e ouvir o som das moedas estimula o interesse e o aprendizado das crianças.
=> Alterações nos valores não devem ser constantes. À medida que a criança cresce, dá para aumentá-los, mas sempre em proporção ao orçamento da família.
=> Acompanhe, na medida do possível, o que está sendo feito com o dinheiro para ajustar as orientações necessárias.
Devo dar mesadas iguais para filhos de idades diferentes?

Se a diferença de idade entre eles for pequena, o valor deve ser igual, uma vez que as necessidades são mais ou menos as mesmas. Mas, se um filho for adolescente e o outro tiver 5 anos, por exemplo, o mais velho vai precisar de mais dinheiro. Esta não é, porém, a única regra. Para Fabio Gallo Garcia, professor de finanças das faculdades PUC e Getúlio Vargas (SP), é preciso levar em conta o meio social em que a criança está inserida para estipular uma quantia justa. E se o dinheiro de um deles acabar antes do previsto? Depois de estabelecida a quantia, ninguém deve receber mais até o próximo mês (ou semana, depende do acordo) – e vale a mesma regra para os dois. Assim, você ensina seus filhos a controlar os gastos.
Fonte: Crescer

As compras do supermercado estão ficando acimado limite? Veja dicas para economizar

Simples atitudes na hora das compras de supermercado podem fazer uma grande diferença no 'final das contas'. Como, por exemplo, evitar sair de casa com fome, não levar as crianças junto e planejar o cardápio da família com antecedência. Abaixo, a nutricionista Sônia Almeida, do Vigilantes do Peso, lista 10 dicas para ajudar a economizar.
·         1

Planeje com antecedência
Planeje os cardápios da família com antecedência. Anote os dias em que tem apenas 20 minutos para servir o jantar, por exemplo, e os dias em que tem mais tempo. Criar um esquema por escrito vai permitir o planejamento de refeições mais equilibradas, já que você consegue visualizar a frequência com que serve diferentes legumes, carnes, pratos prontos ou feitos em casa.




·         2

Não saia para fazer compras com fome
Ao fazer compras com fome você fica sujeito a desejos súbitos e compras por impulso. Saia para fazer compras depois do almoço ou do jantar para administrar o estilo de vida que você quer manter.





·         3

Deixe as crianças em casa
Sem as crianças, fazer compras é mais rápido. Planeje ir ao supermercado quando elas estiverem na escola ou na aula de natação, por exemplo. Outra opção é deixá-las com alguém.





·         4

Siga as receitas
Encare a receita como um guia de planejamento, uma lista pronta com tudo o que você vai precisar: orégano, azeite de oliva, extrato de tomate, etc. Quando elaborar sua lista de compras a partir de receitas, evite ter que correr até a loja mais próxima atrás de algum ingrediente que ficou faltando, quando o que mais queria naquele momento é comer.



·         5

Olhe para cima e para baixo
A economia está embaixo do seu nariz. A maioria das lojas expõe as marcas caras ao nível dos olhos. Observe os produtos das prateleiras mais altas e mais baixas à procura dos produtos mais baratos e promoções. Além disso, folheie sempre o encarte da loja.




·         6

Cuidado com as promoções
Seja honesto com você mesmo e compre apenas o que precisa. Economizar na geleia não é vantagem nenhuma se você não tinha intenções de comprá-la.






·         7

Evite grandes quantidades
Não perecíveis podem ser comprados em atacado: farinha, açúcar, vinagre e grãos, por exemplo. Os óleos ficam rançosos, os temperos perdem o sabor e outros perecíveis estragam. Lembre-se de que um pacote de 5 kg de damasco não vai ser nem um pouco econômico se você tiver que jogar metade fora.




·         8

Frescos ou congelados?
Algumas frutas e legumes podem ser congelados, outros não aceitam muito bem as baixas temperaturas. Verifique a diferença antes de comprar.






·         9
Compre carne e peixe uma vez por mês

Aproveite os descontos nas carnes e peixe e congele com antecedência para o mês inteiro. Embale as porções em plástico filme e separe as peças por tipo de preparação. Em seguida, leve em sacos próprios para congelamento. Cole uma etiqueta especificando o conteúdo e a data. Para sua segurança, use a geladeira para o descongelamento, nunca deixe à temperatura ambiente.




·         10

Ande com uma bolsa térmica
Em dias quentes, o simples transporte dos alimentos até a sua casa pode reduzir a validade. Bolsas térmicas vão manter os produtos lácteos, a carne e o peixe refrigerados.




Fonte: GNT

Você pode substituir a parede por um painel vazado para dar visibilidade e deixar o ambiente mais moderno

Branco no branco  (Foto: Edu Castello)Foto: Edu Castello
Branco no branco 2 (Foto: Edu Castello)Foto: Edu Castello
Branco no branco
A parede que fechava a visão da sala na entrada deste apartamento na Vila Beatriz, em São Paulo, foi substituída pelo painel com círculos de madeira laqueada. “Como o hall do elevador é comum para dois apartamentos, pensei no elemento vazado para dar privacidade quando se abre a porta. Ele bloqueia parcialmente a visão do interior”, explicaFrancisco Cálio, designer de interiores responsável pelo projeto. A Marcenaria A Caixa montou o painel peça a peça no próprio apartamento – a fixação foi simples, executada com cola de madeira. O tapete é da By Kamy e a manta, da Empório Beraldin. Bandeja, vaso, caixa e minicadeiras LS Selection.

Fonte: Casa e Jardim

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Essa casa feita de concreto dá impressão de que está flutuando



Fachada dos fundos: o volume tem 6 m em balanço e brise de laminado, da Pertech, feito pela Serralheria Moreno e instalado por Araujo & Farsoni. No vão livre, mesa do Depósito Santa Fé. Objetos, da L’Oeil (Foto: Maíra Acayaba)
Desde a época de estudante na Universidade de São Paulo, a arquiteta urbanista Adriana Rolim tem paixão pelo estilo brutalista, que aprendeu com os mestres da escola paulista: Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha, vencedor do prêmio Pritzker em 2006. Na hora de construir sua casa no bairro City Boaçava, em São Paulo, ela não teve dúvida: quis nela a estética das estruturas de concreto armado aparente e linhas retas. Encomendou o projeto de seus sonhos aos arquitetosFernando de Mello FrancoMarta Moreira e Milton Braga, do escritório MMBB, que fazem trabalhos com Mendes da Rocha.

Austera, imponente e sustentável, a casa de 300 m² tem formato de caixa e é construída com poucos materiais e elementos, todos confeccionados de maneira artesanal no próprio canteiro de obra: desde a estrutura de concreto armado até os caixilhos metálicos. Um exemplo é o conjunto de escadas de aço, desenhado pelos arquitetos especialmente para o projeto, que está somente fixado nas lajes, exibindo suas presilhas, sem maquiagem alguma. “Fiz tudo para ter uma casa única”, afirma Adriana.

Para atender do melhor jeito ao pedido da moradora, os arquitetos tiveram de desenvolver uma estratégia espacial no terreno relativamente pequeno, com 480 m² e ligeiro aclive. “Como o lote fica encravado entre outros, eles isolaram as laterais com as empenas (paredes de concreto) de 15 metros de comprimento e até 6,5 metros de altura para que eu não veja os vizinhos”, explica Adriana. Em consequência disso, foi necessário criar o espaço vazio no meio da construção. Assim, os ambientes fechados por painéis de vidro ficam voltados para dentro desse pátio descoberto e conseguem receber iluminação natural.

Nesse espaço central estão instaladas as escadas que interligam os quatro pavimentos: do subsolo, onde fica a garagem, à laje de cobertura. Esta última área foi transformada em terraço com deque de madeira e espelho-d’água. Ali no alto a moradora toma sol e desfruta da ampla vista da cidade.


Pátio interno: a circulação acontece pelo vazio central com piso de pedras portuguesas e escadas de aço, desenhadas pelos arquitetos e confeccionadas pelo serralheiro Carlos Augusto Stefani. A da esq. desce para a garagem, no subsolo. À dir., totens de Kimi Nii no paisagismo de Isabel Ruas (Foto: Maíra Acayaba)
Um nível abaixo fica a área íntima, com as duas suítes que ocupam as fachadas, em posições opostas, separadas pelo pátio interno. No corredor, que as interliga, Adriana criou um longo escritório, junto a uma das paredes laterais que é totalmente fechada. “Na frente é usado por mim e, nos fundos, por meu filho, que é músico”, diz a moradora, que revestiu o pavimento superior com assoalho de ipê. Como as fachadas possuem apenas esquadrias com vidro, os quartos são protegidos pelos brises, feitos de laminado melamínico, que permitem o controle da entrada de luz.

Todo o volume da construção é apoiado em quatro pilares redondos de concreto, dois em cada uma das duas empenas, distantes 5 metros entre si. “As lajes suspensas liberam quase o térreo inteiro para a circulação nas áreas externas de estar”, explica Adriana. Sobram ainda 6 metros do volume em balanço na direção das duas fachadas.

Nos fundos, o espaço sob o pavimento superior deu origem à varanda no térreo. Ao lado, separados apenas pelas portas de correr com vidro, ficam o living e a cozinha integrada. Tanto os ambientes internos quanto os externos têm pisos revestidos de mosaico de pedras portuguesas brancas. A única diferença é que dentro o material recebeu polimento e impermeabilização.

Entrada principal: no terreno em aclive, o acesso da rua (no fundo) para a casa é pela escada lateral com ponte feita de chapa de aço pintada de vermelho. À esq., a porta pivotante de vidro leva ao living. Antes fica a passarela de grelha metálica para o escoamento da água de chuva (Foto: Maíra Acayaba)
O projeto executado rendeu ao escritório MMBB o principal prêmio do Instituto de Arquitetos do Brasil, IAB/SP, em 2008. “É uma casa pequena e compacta, mas totalmente integrada. Nas festas, eu fico com um amplo espaço para receber os amigos ao abrir as portas de correr com vidro das salas e da cozinha para a varanda e para o pátio interno”, afirma Adriana.

Apaixonada pelo mobiliário com design moderno, a moradora tem na sala de estar duas poltronas Paulistano, assinadas por Paulo Mendes da Rocha. Mas o que ela curte de verdade em sua casa é a transparência do vidro nas esquadrias, que vão do piso ao teto. “Tenho uma visão de tudo. De qualquer canto posso olhar o jardim inteiro e, na frente, o movimento da rua”, diz a arquiteta urbanista. “Se isso compromete a privacidade, eu resolvo descendo as cortinas.”


Sala de estar: a estante de aço, feita por Carlos Augusto Stefani, ocupa as laterais da lareira de concreto na empena lateral (parede estrutural). Poltrona Paulistano, à venda na Dpot. tapete, da Phenicia Concept. Mesa de centro, da Artefacto (Foto: Maíra Acayaba)



Cozinha: o espaço é aberto para as salas e tem uma bancada da pia que ocupa toda a extensão da parede (no fundo). O piso é de pedras portuguesas lixadas e impermeabilizadas. Armários da Favo. Mesa e cadeiras, da Micasa. Da mesma loja é o móvel, junto à janela, com objetos da L’Oeil e da retrô 63. Escada: a ligação entre o térreo e o pavimento superior é feita pela peça confeccionada inteira com chapas de aço moldadas no local. Os degraus receberam pintura eletrostática com tinta vermelha e os guarda-corpos e corrimão, tom cinza chumbo (Foto: Maíra Acayaba)


Corredor-escritório: a área de circulação entre as suítes deu origem ao longo espaço de estudo e trabalho com móvel composto de vários módulos, da Vitra, instalado na parede lateral. O assoalho com tábuas de ipê é da Felgueiras (Foto: Maíra Acayaba)


Suíte: o quarto tem brises para controlar a entrada dos raios de sol no lado da fachada (à esq.). O closet fica no volume de alvenaria, solto do teto, atrás da cama, da Casa Pronta quartos. Mesa lateral, da empório Vermeil. Roupa de cama, da trousseau. Tapete, da Phenicia Concept (Foto: Maíra Acayaba)


Terraço-jardim: todos os cômodos são voltados para o pátio interno, onde fica o jogo de escadas metálicas. O fechamento por esquadrias com vidro permite que sejam banhados pela luz natural. Na cobertura, espreguiçadeiras, da Regatta (Foto: Maíra Acayaba)

Você sabe qual o melhor remédio para lidar com queimaduras?


Usar manteiga para tratar queimaduras é uma receita caseira que vem sendo repetida há séculos.
A ideia é selar a queimadura para que o ferimento não entre em contato com ar ou sujeiras, prevenindo assim infecções e acelerando a cura.
Mas será que a técnica funciona mesmo? Afinal, há muitos mitos em torno de remédios caseiros para tratar queimaduras.
Um papiro egípcio que data de 1.500 A.C. descreve o uso de barro, excrementos de animais e até de rãs banhadas com azeite. No século 4 A.C., os gregos preferiam gordura de porco, enquanto os romanos usavam uma mistura de mel e farelos, seguida de pedaços de cortiça e cinzas.
Pesquisas recentes com pais revelaram que apenas 10% dos entrevistados deram uma resposta considerada ideal.
Apenas 25% das pessoas colocariam água fria sobre as queimaduras - que é recomendação atual - enquanto metade sugeriu soluções erradas, como iogurte, pasta de dente, extrato de tomate, gelo, clara de ovo crua, entre outras.
Especialistas esclarecem que o aparente alívio proporcionado por essas substâncias frias não dura, podendo inclusive selar a queimadura, impedido a saída do calor. Assim, a pele continua queimando por dentro.
Como as queimaduras superficiais acabam curando sozinhas, assumimos erroneamente que essas receitas funcionaram, quando, na verdade, a queimadura teria melhorado de qualquer jeito.
Como lidar com queimaduras
As orientações de primeiros socorros para queimaduras variam de país para país, mas no geral, o conselho é: após remover roupas e todos os acessórios, como colares, relógios e anéis, abra a torneira e deixe água fria cair sobre a queimadura por pelo menos 20 minutos.
A água fria ajuda a adormecer a área afetada ao esfriá-la e, além disso, evita que a pele continue queimando.
Mas não se pode exagerar: o frio extremo pode prejudicar ainda mais o tecido, o que descarta a aplicação direta de gelo.
Finalmente, a queimadura deve ser coberta com uma gaze limpa para evitar infecção.
Quanto à manteiga, o melhor é usá-la no pão, a não ser que seja uma situação muito específica: se uma pessoa for azarada o bastante para ter um acidente com alcatrão quente caindo na pele, uma substância gordurosa como a manteiga pode ajudar na remoção do alcatrão, reduzindo a dor e facilitando o trabalho dos médicos na hora de avaliar a gravidade da queimadura.
Fonte: Diário da Saúde

Sabe o pisca-pisca usado para iluminar a árvore de Natal? Com um pouco de criatividade ele pode decorar o seu lar em qualquer data


O quarto de menina foi decorado pela moradora para uma de suas filhas. Sobre o papel de parede importado, molduras e quadrinhos coloridos, comprados em viagens pelo mundo. O fio de lâmpadas arremata o visual feminino



Os balões feitos de papel japonês de origami enfeitam o pisca-pisca. Uma criação delicada, assinada pela artista Ione Sawao


Disfarçadas de orquídeas, as luzes em miniatura iluminam a gaiola de ferro

Fonte: Casa e Jardim

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Corretor de Imóveis, queremos ressaltar sua importância para nós!


Quer que seu filho aprenda matemática desde criança? Use brinquedos inusitados


Na hora de ensinar seu filho a contar, a escolha dos objetos faz diferença. Foi o que revelou um estudo da Universidade de Notre Dame (EUA) realizado com 60 crianças entre 4 e 5 anos. Não basta o material didático, como um ábaco (tipo de instrumento de cálculo), ser colorido e com textura. “Ele deve ser desconhecido para que os pequenos assimilem melhor as informações”, conta a professora Nicole McNeil, líder do experimento. A justificativa é que, quando o aluno já sabe a finalidade de antemão, ele se concentra nela e não consegue focar na tarefa proposta. A pedagoga Rosa Cavalcanti, do Colégio Brasil Canadá (SP), diz que experiências do cotidiano também favorecem o aprendizado. “Dominó e aulas de culinária estimulam o raciocínio por terem regras para seguir, além de incentivar o trabalho em grupo.”


Fonte: Crescer

Você sabia que os olhos podem indicar risco de AVC?


Seus olhos podem mostrar bem mais do que sua alma - por exemplo, seu risco de ter um derrame, ou acidente vascular cerebral (AVC).
"A retina fornece informações sobre o estado dos vasos sanguíneos no cérebro," explica o Dr. Mohammad Kamran Ikram, da Universidade Nacional de Cingapura. "Imagens da retina representam uma forma não-invasiva e barata de examinar os vasos sanguíneos."
Em todo o mundo, a hipertensão arterial é o fator de risco mais importante para o AVC.
No entanto, ainda não é possível prever quais pacientes hipertensos têm maior probabilidade de apresentar um acidente vascular cerebral.
Por isto, o Dr. Ikram teve a ideia de documentar a pressão arterial por meio da retina.
Retinopatia hipertensiva
O Dr. Ikram e seu grupo acompanharam a ocorrência de AVC durante 13 anos em 2.907 pacientes com pressão arterial elevada. O acompanhamento envolveu tirar fotografias da retina, classificando os danos aos vasos sanguíneos da retina em leves, moderados ou graves.
Durante o acompanhamento, 146 participantes tiveram um derrame causado por um coágulo de sangue e 15 por hemorragia no cérebro.
Os pesquisadores então ajustaram os dados para levar em conta vários fatores de risco para AVC, como idade, sexo, raça, níveis de colesterol, glicemia, índice de massa corporal, tabagismo e leituras de pressão sanguínea.
Eles descobriram que o risco de acidente vascular cerebral foi 35% maior nas pessoas com retinopatia hipertensiva leve e 137% maior nas pessoas com retinopatia hipertensiva moderada ou grave - tudo atestado pelas fotografias da retina.
Mesmo nos pacientes sob medicação, com um bom controle da pressão arterial, o risco de um coágulo de sangue foi de 96% maior nas pessoas com retinopatia hipertensiva leve e 198% maior nas pessoas com retinopatia hipertensiva moderada ou grave.
"É muito cedo para recomendar mudanças na prática clínica", ressalta Ikram. "Outros estudos são necessários para confirmar nossos resultados e analisar se as imagens da retina podem ser úteis para fornecer informações adicionais sobre o risco de AVC em pessoas com pressão arterial elevada."

Fonte: Diário da Saúde